VIII FORUM MUNDIAL DA BICICLETA 2019 – Quito/ Equador

Há pouco recebi, aqui na Bicicletaria Cultural, a equipe BambooCycle, vindos da Cidade do México, e que por vez, nos conhecemos em Quito, Equador no VIII Fórum Mundial da Bicicleta. Entre tantos encontros, a Bamboocycle estava no patio do Centro Cultural Eugenio Espejo, construindo uma Tall Bike de bambu e divulgando seu trabalho e os workshops onde compartilha o know-how desse processo. 

Esta é uma, dentre as reverberações da viagem que continua espalhando oportunidades e conexoes por tempos e lugares imprevisíveis. A viagem foi possível pelo apoio, através de edital, da União dos Ciclistas do Brasil UCB e do parceiro apoiador, Banco Itau. Ainda sobre essa viagem, tivemos aproximação com a equipe argentina, eleita para organizar o X FMB em Rosario, Argentina (2021) e juntos fortalecemos o ponto cicloativista sulamericano, decidindo juntos a previsão da data – 1ªquinzena de setembro/ 2021.

São incontáveis os desdobramentos e conexões prósperas além do intercâmbio de informações e trocas de experiencias com os agentes transformadores em suas cidades e países, além é claro das palestras e cursos da programação, que colaborei com a pesquisa inédita e transdisciplinar “Para onde o sonho nos leva? – Balanço sobre o III FMB em Curitiba, 2014” no VIII FMB em Quito, de 25 a 28 de abril, 2019 apresentada sabado pela manhã (dia 27/04/2019)  contou com equipamento audiovisual e internet (embora esse quesito atrasou apresentação em 20minutos). 

Apresentei resumo de 8 estrevistas de lideranças como atual deputado Goura, o ex prefeito Gustavo Fruet, Ivo Reck, Yasmim Reck, André Feiges, Luiz Patricio (atualmente no Canadá), Priscila Maris, jornalista Alexandre Nascimento, Andreza Gambelli e professora Muriel (Paranaguá) para público de amigos, colegas, curiosos, equipe do município de Guayacquil, Equador e da equipe argentina que demonstrou interesse e dedicação na candidatura para sediar o evento.

Meu projeto foi selecionado pela UCB e seus apoiadores, devido a inédita abordagem sobre os desdobramentos numa cidade sede após 5 anos como Curitiba, no ano de 2014. Tamanha organização e mobilização popular, mesmo com evidentes particularidades entre cidades e culturas, indica que tal mobilização cicloativista desperta uma revisão urbanista coletiva e uma convocação à cidadania que, por sua vez, escorre para várias esferas com destaque a cultura e a arte. Assim, ativa um imaginário que reorganiza a atenção para a ocupação do espaço comum, questiona hábitos sedentários, segmentados e patrocinados e exige uma certa ousadia compartilhada. Outra esfera ativada é a convocação comercial e iniciativas artesanais entorno da ciclomobilidade em seu vasto campo com muito a ser explorado.

Ao apresentar depoimentos e desdobramentos factuais em outra cidade e cultura, revelaram-se afinidades latinas como aponta o artigo “frustração com economia” da Folha  e um trânsito similar de políticas públicas para mobilidade como a implementação do mesmo sistema de transporte público (o BRT), ciclofaixas delimitadas ao longo das canaletas e estímulo de velocidade sem prioridade para pedestres. Dificilmente teremos ligações causais com essa mobilização cicloativista, no entanto tanto em Curitiba quanto em Quito, reverberações muito extraordinárias se sucederam tais como, respectivamente um grupo de cicloativistas construíram uma praça pública transformando radicalmente o centro da cidade com massiva adesão da população e abertura de comércios e noutra cidade e elegeram uma liderança; uma grande mobilização popular eclodiu numa crise expandida pelo resto do país devido o aumento da tarifa de transporte público no final de 2018 e somando as sucessivas revoltas em países vizinhos como Bolívia e Chile.

Logo, o mais recente intercâmbio que fizemos foi com o grupo BambooCycle da Cidade do Mexico, presentes na ultima edição, e juntos promovemos o curso de construção de quadro de bicicleta com bambus. A oficina reuniu pessoas de 3 estados, preenchendo total de 8 vagas e cada qual saiu com know how e sua bicicleta escolhida pelo prazo de 3 dias, algumas já estão rodando e completas. Sigamos sensíveis a cultura e historia pois o impacto do movimento popular cicloativista não é previsível, porém é de uma comunidade hermana.   

1° CURSO DE CONSTRUÇÃO DE BICICLETA DE BAMBU em CURITIBA

JÁ PENSOU EM CRIAR A SUA BICICLETA …DE BAMBU!!

Participe do 1° CURSO para CONSTRUIR SUA BICICLETA DE BAMBU aqui na Bicicletaria Cultural nos dias 28 e 29 de fevereiro e 01 de março de 2020 com grupo experiente da Cidade do Mexico/ MX. Veja mais: https://bamboocycles.com/

bamboocycle1

Dentre os benefícios da bike de bambu estão sua originalidade, leveza e belíssimas cores e brilho. Nesse processo, você impacta na valorização da escala humana, revela trabalho de artesania e aquece circulação de material natural e ecológico.

A bicicleta que você construir vai ser exclusiva e será uma estensão consciente do seu corpo pois você terá dominado todo processo e fará uso dela com autonomia e funcionalidade.

bamboocycle3

O bambu tem como características resistência, resiliência e flexibilidade, e essas qualidades tornam sua bicicleta macia por absorver impacto e forte. Sim, a bicicleta de bambu é forte. O material usado é tratado e certificado pelo grupo BambooCycle vindo do México.

Participe deste 1º curso de construção de bicicleta de bambu!

bamboocycle5

Vamos reunir seu entusiasmo e disposição com a expertise de Diego e Nacho e sairemos pedalando com nossas novas bicicletas no maior exercicio de autonomia e harmonia com o meio ambiente.

São poucas vagas e há muito o que fazer, mas não se preocupe! O material para construção do quadro será ofertado no entanto, você deve ter decidido qual garfo e qual roda completa traseira irá na bici de bambu. Sobre essas peças, nós da Bicicletaria Cultural podemos ajudar, e se te interessar, mando uma lista de nossos preços.

A inscrição está no valor de U$350 (segundo nossa atual cotação, sai menos de R$1500,00) para garantir uma vaga para você e mais 1 pessoa! Sim, você pode e é altamente indicado trazer um amigo ou amiga pra aprender e ajudar a construir sua bike pelo valor de 1 inscrição!

bamboocycle4

Agora sim! Quitada e feita a inscrição pelo pay pal (ou se for  por boleto, precisa entrar em contato conosco – 41 31530022)  precisamos que preencha dados como sua altura, peso e tal e, qual será seu estilo. Você pretende montar uma de estilo speed, urbana, cargueira (!!) mountain bike, bmx ou infantil (yeah!)?

Participe, será uma aventura construir sua própria bicicleta.

Será o começo de suas melhores aventuras!

SERVIÇO:

Local: Bicicletaria Cultural. Rua Presidente Faria, 226 Centro 80020-290 Tel 41 31530022 bicicletariacultural@gmail.com

Data: 28 (das 16h as 21h) 29 de fevereiro e 01 de março (das 10h as 19h) de 2020.

Inscrição: USD $350 (aprox. R$1500,00) com direito a acompanhante. Pagamento preferencialmente pelo paypal (aceita cartões)

Ainda há vagas!

Veja mais!

 

 

SHOW DE TECO MARTINS dias 10 e 11 de outubro

π Teco Martins cantor e compositor das bandas Luz Ametista, Sala Espacial e RANCORE vem a Curitiba trazer o show de lançamento do seu novo álbum solo LOGOS SOLAR; evento intimista pra até no máximo 40 pessoas, proximidade total com o artista que vem acompanhando pelo Sanfoneiro e Percussionista paranaense Daniel Farah, tocando músicas de todas as fases da carreira, na Bicicletaria Cultural local muito agradável para ver o show, IMPERDÍVEL!

Ingressos Antecipados: R$25
Ingressos na Porta: R$35

***ATENÇÃO: DEVIDO A RÁPIDA VENDA DOS INGRESSOS PARA O SHOW DE QUINTA-FEIRA (Já estão quase esgotados, tem só mais 5), DECIDIMOS ABRIR UMA DATA EXTRA NA SEXTA-FEIRA!!! (não serão aceitas trocas de ingressos pros dias)

Garanta seu ingresso já pois são poucos !!!

INGRESSOS ANTECIPADOS P/ QUINTA-FEIRA https://www.sympla.com.br/-teco-martins-em-curitiba-pr__662016

INGRESSOS ANTECIPADOS P/ SEXTA-FEIRA
https://www.sympla.com.br/-teco-martins-em-curitiba-pr—data-extra__668852

Crianças até 12 anos e pessoas com mais de 45 anos entram grátis*

Exposição VER MELH® de LiberNet

VISITA a exposição VER MELH® de Libernet, artista gráfico de produção intensa em diálogo

com sua esquizofrenia e portador da síndrome de parkinson, a partir do dia 8 de outubro às 19:00.

Libero Nunes Neto formou-se em Desenho Industrial (CEFET-PR) e Cinema na Universidade Federal Fluminense/RJ.

Há 30 anos desenvolve uma linguagem própria em poemas, videos, performances e apostilas na qual ele

usa para se comunicar com o mundo, além de um refinamento gráfico e repertório de referências.

 

70156761_524213608344278_1819605747614327793_n
Exposição de LiberNet é realizada em parceria com a Bicicletaria Cultural e o projeto #pró_inclusão criado por Alceu, irmão do artista.

 

 

Nessa caldeira polifônica, a exposição VER MELH® propõe a revelação de um dialeto próprio,

recombinado com o inglês, desconfigurando a língua portuguesa, conduzido pela sonoridade transcrita e

perturbando interpretações convencionais que são, segundo Libernet, semiUrgências

67839862_1382839761868136_4999233894292694025_n

Liber tem mais de 500 poemas de 1990 a 2019

 

 

67971424_197490891249142_4992716615261689495_n
Além de poemas serão lidas e vendidas apostilas com seus textos 

69269128_379596722722932_5618430803747553245_n
Colagem de 2000-2019

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estão expostas 20 pinturas (na foto), mais de 20 colagens e 30 poemas que vão sendo decifrados numa cumplicidade metafórica de humor e provocações. Todo trabalho é atuante e converte em reflexões sobre o mundo midiático em que vivemos, cuja matéria-prima são de revistas impressas recombinadas

No mesmo dia, 8 de outubro, também tem o lançamento do livro, um entre 7 livros de poemas já escritos

pelo autor, LILAZ, PERTO, VERDWE, AZUIS, VIOLETRA, DWOURADWO.

O livro VER MELH® é o primeiro a ser publicado e foi produzido de maneira independente pelos amigos

do #pró_inclusão, um projeto de apoio ao artista que se encontra isolado e sem conexão.

O projeto #pró_inclusão foi criado pelo seu irmão Alceu Chiesorin Nunes, experiente nas produções

literárias como diretor de arte da editora Companhia das Letras desde 2012.

69503591_370764637195874_3919055998596646925_n
Tag com itens de apoio do projeto. As obras e apostilas estão a venda e você pode apoiar também.

68827903_379091562778875_9190399998125146112_n
projeto criado por Alceu Chiesorin Nunes, de São Paulo

Entre 8 de outubro e 9 de novembro, a exposição ancora uma programação paralela gratuita para

atender a rica produção de Libernet na Bicicletaria Cultural e na Praça de Bolso do Ciclista.

Segue:

Dia 10/10 as 16h

performance Mantras Chacras Experimental de Libernet. Duração: 30min na Bicicletaria Cultural

Dia 11/10 as 18h30 exibição de video SimVela de Libernet. Duração: 40min na Praça de Bolso do Ciclista

Dia 15/10 as 10h30 criação aberta do trabalho Abstratos Concretos Simbolicos. Duracão: 2h. Na Bicicletaria Cultural

Dia 21/10 as 10h30

leitura de portfolio e apostilas Strow Tsonowra. Duração: 1h. Na Bicicletaria Cultural.

Dia 24/10 as 18h30

bate papo Converssssão. Duracão: 40min. Na Bicicletaria Cultural.

Dia 26/10 as 19h sarau de poesias Poezis com convidado Alvaro Posselt. Duracao: 1h. Na Praça de bolso do Ciclista

Dia 31/10 as 15h leitura de Kodigos win roteiros Cinemwatograficos. Duracao: 30m. Na Bicicletaria Cultural.

SERVIÇO

Exposição e programação cultural e artística VER MELH® de Libernet

Abertura dia 8/outubro as 19h

De 8/10 a 9/11

Programação Gratuita

Local: Bicicletaria Cultural (rua presidente faria, 226) Praça de Bolso do Ciclista (rua são francisco, s/n, centro)

Mais informações: 41 31530022

Curso de Panificação frances com BERNARD LAMARQUE

SIM, ELE VOLTOU! Este é um reencontro com o Atelier de Panificação Francesa do padeiro francês Bernard Lamarc, que há 5 anos esteve conosco e contribuiu nas atividades da construção da Praça de Bolso do Ciclista em 2014.

Lamarque retornou para Curitiba a convite da Padaria Família Farinha e, agora oferece pela amizade de 5 anos, 3 (três) encontros na Bicicletaria Cultural para colaborar com o negócio social que apoia ciclistas no centro de Curitiba desde 2011.

Dias 5, 11 e 17 de outubro Lamarque ensinará a fazer pão de boa digestão e com mais sabor pela fermentação austríaca (poulish), de massa lenta e diferente da tradição italiana de amassar pão. Assim o glúten completa seu processo. Bernard conta que o pão (trigo) é a proteína mais barata do mundo. Então pela saúde e digestibilidade, assim como o vinho, o whisky, o pão precisa de mais tempo! Obs.: sao poucas vagas! Traga sua fôrma.

Obs.: sao poucas vagas! Traga sua fôrma.

***

SERVIÇO

Atelier de Panificação Francesa com Bernard Lamarque e Ginette Rios

Data: 05/10 (das 14h as 16h) e dias 11/10 e 17/10 (das 18:30 as 20:30)

Ingresso: R $50 (incluso insumos)

Inscrições no local

Bicicletaria Cultural

End.: Rua Presidente Faria, 226 Centro

Mais informações: 41 31530022

1° XIZOLA – BIKE POLO

xilizola

Neste sábado dia 24 de agosto em comemoração aos 8 anos da BICICLETARIA CULTURAL, teremos o 1° XIZOLA.

Será uma competição em espaço reduzido de 2m x 2m com partidas de 1 contra 1.

Vai ser assim:

As rodadas acontecerão com 3 inscritos em 3 jogos de aprox 6minutos cada. Os resultados somam pontos no placar geral.

As inscrições para participar da rodada é da bagatela de R $5,00/ jogador

Para acompanhar esta tarde, das 14h as 22h mergulharemos na cultura do BIKE POLO com prints em camisetas (TRAGA SUA MELHOR CAMISETA) c/ músicas, chopp e lanches da cozinha vegetariana da Bicicletaria Cultural e vegana da OCA VEG.

SÁBADO 24/08 das 14h – 22h Local: r. Pres. Faria, 226 centro 41 31530022 (Curitiba)

dsc_8479

ENTRADA GRATUITA.

Participe da celebração dos 8 anos de subsistência do cicloativismo local.

ATENÇÃO:

No mesmo dia e endereço, as 16h, a Cicloiguaçu – Associação dos Ciclistas do Alto Iguaçu fará o lançamento do relatório produzido sobre a Av Afonso Camargo, local onde foi vitimado, Lucas Shurda. Este doc. balizará requerimentos para a adequação do local.

A CICLOIGUAÇU desenvolve de maneira voluntária, projetos, pesquisas e mediação com setor público desde 2011.

Visite, conheça, apoie e se associe!

MAIS SOBRE BIKE POLO:

βike pólo é um esporte criado no município de County Wicklow, na Irlanda, em 1891, pelo ciclista aposentado Richard J. Mecredy. Ele é semelhante ao polo convencional, com a diferença de que, ao invés de cavalos, são usadas bicicletas. No início do século XX o esporte cresceu tanto que chegou a ser exibido como demonstração nas Olimpíadas de 1908 em Londres.

O jogo é uma variação “livre” do polo equestre. No lugar dos cavalos e dos campos com grama, os jogadores “montam” bicicletas e disputam as partidas em quadras duras de cimento. Ainda não surgiram lojas especializadas na modalidade. Há um faça você mesmo na hora de criar os equipamentos. Os tacos são criados com o material que há disponível, geralmente um cano de alumínio ou um cabo de esqui parafusado a um cilindro de material resistente, mas já opções, como um taco profissional hj tá custando de 250 a 350 pila. Mas claro, sempre da pra fazer com materiais mais baratos. Os cavalos, são bicicletas single speed mais leves, sem marchas, mais baratas, simples e mais “ariscas”, no início, muitos certamente encontrarão certa dificuldade em manejá-la. Elas se caracterizam por usarem uma calota na roda dianteira para evitar que o taco entre.

Novas equipes despontam ao redor do mundo. Há representantes de bike pólo em países como os Estados Unidos, França, Índia, Alemanha, Paquistão, Malásia, Sri Lanka, Indonésia, Hungria, Austrália, Inglaterra, Argentina, Itália, Canadá, Suécia e Brasil.

O nosso time local é reconhecido como o mais tradicional do Brasil, Os Peixes Delirantes fazem parte da liga de bike polo de Curitiba, O time que, entre outros, conta com @doxlucchin, @chico_paes e @amareloucura @doug recentemente organizaram o 7° Campeonato Brasileiro de Bike Polo como um grandioso encontro da comunidade (julho/19). Houve colaboração da prefeitura de Campo Magro e a abertura para o desenvolvimento deste esporte na cidade. Em Curitiba há encontros semanais no Largo Isaac Lazzarotto, início da Av Sete de Setembro.

Bike Polo é um esporte ligado à cultura underground das bicicleta fixas que vem crescendo e se profissionalizando, a galera está na busca de organizar uma federação desta categoria.

48440487_matchold

Acessível não somente para uma elite, mas para quem desejar praticá-lo, já se tornou um boom nas metrópoles mundiais, e é crescente o interesse em terras tupiniquins.

Os times são formados por 3 ou 6 integrantes dependendo do formato, mas são sempre 3 em quadra, num jogo 3×3. as partidas tem de 12 minutos de duração e o tempo pára sempre que o jogo é interrompido por algum motivo. no outro formato, com jogadores reservas (mas ainda 3×3) as partidas levam 30 ou 45 minutos com pausas durante o jogo.

WOMAN POLO

Os times são mistos, a predominância é masculina, mas as mulheres são cada vez mais ativas e hoje existe a liga feminina de bike polo, onde apenas mulheres jogam. O esporte esta cada vez mais organizado, e já conta com confederações continentais, e são disputados campeonatos mundias. neste ano, o Campeonato Mundial de Bike Polo será disputado em Córdoba na Argentina, e contará com a presença de times Brasileiros.

bikepolo cordoba

Participe!

ENCONTRO DE CICLOVIAJANTES com Ernesto Stock

Nos encontros de Cicloviajantes trazemos heróis de suas proprias jornadas para trocarem suas vivencias. Nese próximo encontro, teremos o lançamento de livro e projeção de fotografias. São parte da programação do mês de aniversário de 8 anos da Bicicletaria Cutural. Ernesto Stock  em “A Fantástica Epopeia que não era”, é uma ficção inspirada em uma travessia de bicicleta entre o Atlântico e o Pacífico realizada em 2013. Esta edição terá a participação do professor e psiquiatra Renato Franco, que abordara temas referentes à relação entre o relato de viagem  e sua construção da narrativa apoiada na  memória.  
Esta é uma obra de ficção, livremente inspirada em uma expedição de bicicleta
que realizei em 2013 na companhia de dois amigos. Foram quase três meses
percorrendo o sul do Brasil, o Paraguai, a Argentina e o Chile. Três mil quilômetros entre
o Oceano Atlântico e o Pacífico.
Concebido inicialmente como um relato tradicional, este livro cedeu
progressivamente à pressão dos personagens sedutores, dos encontros inusitados e da
tentação de forjar relações improváveis. O que a princípio se configurava como uma
vantagem narrativa, a verdade dos fatos e minha privilegiada visão de autor onipresente
sabedor dos fins e dos meios, terminou do avesso.
Conforme a história se desenvolvia e eu tinha que recorrer à memória para
descrever uma cena ou um acontecimento, talvez reais, percebia, cada vez mais, a
nulidade desse esforço. A verdade dos contornos e das formas escondia um mundo que
meu próprio olhar buscava, e minhas referências seletivas construíam, baseadas em
certezas falsas e imprecisas. A constatação do inevitável acabou por enterrar qualquer
tentativa de apego aos fatos. Esse processo é percebido e explícito no decorrer da
narrativa. Um livro de estrada, um romance de aventura, uma epopeia contemporânea
de tudo o que não existiu ou poderia. E também com todos os problemas do meio do
caminho.
Temos aí um ponto fundamental na construção deste livro: a questão da
memória e a sua fabulosa capacidade de inventar lugares e elevá-los à categoria de
verdades incontestes. Não tenho nenhum compromisso com outra verdade que não
seja a que as minhas referências e todo um emaranhado de lembranças
convenientemente inventadas pela minha imaginação possam apresentar.
O que garanto que sobra é o cuidado com que eu cultivo as histórias que vou
ouvindo e vivendo pelo meu caminho, e o lugar especial que reservo para elas na
construção do meu mundo inventado. Quando voltei da minha viagem de bicicleta, fazia
pouco mais de um ano que meu avô tinha morrido e senti muito em não poder dividir
toda essa experiência com ele. Um ano depois da minha avó, que durante anos foi
perdendo pouco a pouco todas as memórias de que tanto se orgulhava. Mesmo quando
não lembrava mais seu nome e nem se reconhecia no espelho, sentava em frente à
janela e cantava junto com meu avô uma infinidade de canções que descobriram juntos
em mais de sessenta anos de músicas. Todas as sensações que transbordam das
lembranças e dão sentido. Toda a força da memória. Esse livro é, sobretudo, um
presente para o meu avô.
Divirtam-se.

 

15/08 na Bicicletaria Cultural – 20h / rua pres. faria 226 – 4131530022 – GRATUITO

Encontro para familiarização de mecânica de bicicletas

Pedale com segurança e autonomia. Bicicletaria Cultural quer que você tenha conhecimento sobre a extensão do seu corpo junto à machina bicicleta, e esta potencialize sua locomoção para chegar onde quiser.

Há 8 anos desenvolvemos uma oficina com 180minutos. As edições são quinzenais.

Interessados em se familiarizar com os processos mecânicos da bicicleta podem se inscrever antescipadamente com valor de $45, na hora $50 O encontro é direcionado ao publico em geral c/ idade a partir de 14 anos, abre caminho para o uso de ferramentas para manter seu veículo em bom estado para garantir sua segurança.

A oficina é teórico-prática com somente 06 (seis) vagas.

Conteúdo:

quadros c/prática de tamanhos

pneus c/prática de medição

câmaras e valvulas c/prática de remendos

aros e raios c/ prática de centragem

cubos c/pratica de revisao de cubos

freios c/pratica de regulagem

corrente e cambios c/prática de regulagem

DATA: 06 de julho 2019

HORA: 15h as 18h Antecipado R$45

Mais um ciclo da bicicleta comunitária em Curitiba

Emocionante é o poder do desejo, da vontade e da união.

De setembro a novembro de 2016, estivemos chamando as pessoas mais queridas e próximas do coração e da Bicicletaria Cultural para juntos Ampliar a Colméia, já que ciclistas são polinizadores da urbe!

Em 2017 ficamos inquietos na atualização de um projeto mais adequado ao que foi arrecadado. Que fosse econômico e administrável. E nesse calor de tarefas abrimos o blogue bicicletariaculturalprojetos.wordpress.com pra lançar boas referências, protótipos e conforme ía se adequando á prática real, este link foi esquecido.

Em 2018, no seu ciclo de 7 anos de atividades – ciclo sempre emblemático, anunciamos as reformas com uma equipe generosa e dedicada. Vale a pena ver os breves registros do making off no fb, aqui e insta.

Hoje, ao revisitar os sites que administramos (ainda que tardiamente) reencontramos aquele link dos projetos e devaneios e, é impressionante como nossos desejos conspiraram e dialogaram, num processo de contaminação, com as novidades que estamos lançando nesta quarta, dia 28/março – junto a intensa programação cultural, integrante do Festival de Teatro de Curitiba 2018.

A seguir, as dicas e pretextos para que você nos visite e se emocione conosco nessa vida maravilhosa.

Juntos somos mais!

Mais bicicletas!

Mais segurança!

“Prefeito, preste atenção! Vc’stá andando na contra-mão!”

💃 Musica flamenca com o coração e improvisações de Pablo Vares, do Uruguai no show “Encruzilhada”.
Dias 28 e 31 março e, 4 de abril.

🎭 o retorno do monólogo “A Anta de Copacabana” – que ja foi destaque nacional na temporada que esteve conosco e se ainda não viu #naoperca
dias 28 a 30/março e 01, 03, 06 e 07/abril

🎭 🎥 O mesmo ator, Adriano Peterman, fará tambem a estreia de “Bernard Só” com texto de Luiz Felipe Leprevost com transmissão em tempo real pela internet nesta fanpage e na CiaTeatroPortatil, transformando a obra em um híbrido entre o teatro e o audiovisual.
Dias 28, 30, 31/ março, 01/abril e continua direto de 3 a 8/abril.

🎭 sabe a origem desse símbolo aqui?Pensa num trabalho totalmente imerso na poetica teatral!! Eis a peça “Rapsodos”, um recorte do texto “Ilíada” de Homero e um resgate à Grécia Antiga, quando rapsodos duelavam na abertura das Olimpíadas pela interpretacao mais virtuosa. Com o querido e dedicado A.Peterman, Maureen Miranda e Stella Maris Moreira
dias 28, 29 e 31/março; de 2 a 6/abril e finaleira dia 8/abril.

🐞🐝《 esses é q são “Os Monstros”

na exposição em aquarela s/papel e acrilica s/ materiais reciclados de Maureen Miranda. Encantada desde criança (e quem não?) eis uma lupa sobre os insetos. Belíssimos trabalhos que inauguram novo ambiente e deliciosas novidades.
De 28/março até 8/abril ………………….🐜

💭📚 Pode contar que sempre sempre estaremos com crianças por perto. E desta vez o convite é para o lançamento de 15 belos livros da “Coleção Genoma” da Editora DVS, reunindo narrativas sensíveis e ilustrações da talentosa Maureen Miranda que adorariam serem coloridas pelos talentos mirins. Talvez vc conheça alguns autores, veja quais: Bruno Garcia, Carla Böhler, Fabíula Nascimento, Hilton Castro, James McSill, Leandro Daniel Colombo, Leonardo Medeiros, Letícia Spiller, Pablito Kucarz, Ricardo Severo, Rô Milani, Rodrigo Ferrarini, Rubens Caribé, Simone Spoladore e a ilustradora.
Lançamento dia 4/abril.

E quer assistir COLETIVO EL CAMINO reunido? Então venha com o coracão✊na forma de um punho fechado…

🎤🎶 Performance musical e poética com a força que o nome traz “Punho Fechado”. No elenco está Letícia Spiller, Adriano Petermann e Maureen Miranda, com música de Neco Yaros e Pablo Vares e Flavio Jardim.
De 29/março a 2/ abril e de 6 a 8/ abril.

Temos espaços intimistas,
garanta seus ingressos!

Aulas gratuitas de violão em Curitiba

A partir do dia 6 de maio 2019, Letícia Farinhuk e Danilo Ribeiro, ministrarão aulas gratuitas de violão, Os encontros acontecerão na BICICLETARIA CULTURAL, Rua Presidente Faria 226 em frente a Praça de Bolso do Ciclista.

É necessário realizar prévia inscrição através do telefone com whats (41) 31153-0022, voltado para todas as idades, os encontros serão segundas-feira, das 9 horas ao meio-dia. não é necessário conhecimento prévio, porém o aluno deve possuir violão.

Letícia Farinhuk e Danilo Ribeiro, são estudantes do quarto ano de bacharelado em música da faculdade de artes do Paraná.

Pré Carnaval com BLOCO Xô Miserê

Dia 28 de fevereiro, na quinta feira de pré carnaval – as 20h, temos o TRIO XÔ MISERÊ a convite de CHICO PAES na voz e violão, com SAULO SOUL na percussão eletrônica e LAURO RIBEIRO no trombone. Artistas dessa terra das araucárias com groove, mpb e samba animado por quem observa nossa cidade e nosso tempo.
 
O encontro da Bicicletaria com o samba de João Francisco Paes, Chico Paes, data desde o comecinho em 2012, ainda com a banda EletroVeraCruz. De estilo poético e altamente habilidoso no violão, suas composições e canções são um mar de referências dos mestres sambistas brasileiros como Baden Powell, Dilermando Reis, Villa Lobos, Raphael Rabello e outros como Chico, Caetano, Hermeto e Tom Zé.   
SERVIÇO:
Pré Carnaval do trio Xô Miserê 
com Chico Paes (voz e violão), Saulo Soul (percurssão eletronica) e Lauro Ribeiro (trombone) 
 
Local: Bicicletaria Cultural
Endereço: Rua Presidente Faria, 226 – Centro, Curitiba
Data: 28 de fevereiro de 2019 das 20h as 23h
Ingresso: 10,00
TAGS #samba #carnaval #mpb #compositoresbrasileiros #precarnavalcuritibano @saulo.music @lauro_so @chico_paes
Tem estacionamento para bicicletas, lanches rápidos e bebidas.
* * *

Cartaz XÔ MISERÊ 28/2/2019 as 20h

BICICLETANDO NA OFICINA DE MUSICA 2019

whatsapp image 2019-01-16 at 13.51.57

A Oficina de Música de Curitiba recebe no dia 20 (domingo) o Bicicletando na Oficina, é a segunda edição deste evento que difunde esta incrível programação aos ciclistas. Este ano o trajeto leva a diferentes pontos da cidade com shows musicais em cada parada. O Bicicletando inicia na Capela da Glória as 9h da manhã deste domingo, e segue para o  Bosque do Papa. O dia tem ainda programação com orquestras e apresentação com sintetizadores analógicos.

Confira a programação completa do dia 20 de janeiro

Às 8h30h  é concentração na Capela da Glória

saída as 9H30

10h30 chegada no bosque do papa

10h50 saida do bosque do papa

11h15 chegada parque sao lourenço

11h45 saida parque sao loureço

12h15 chegada praça de bolso do ciclista
Bicicletando na Oficina
Misturando música e um passeio ciclístico, o Bicicletando sai da Capela da Glória depois de show d’A Banda Lyra Curitibana; no Bosque do Papa, acontece um pocket concerto do pianista Wim Van Moerbecke; no Parque São Lourenço, o Trio Harmônicas de Curitiba é quem embala a programação; o encerramento acontece na Praça de Bolso do Ciclista às 12h30, com a Bananeira Brass Band.
o evento é totalmente Gratuito tem o apoio da Associação dos Ciclistas do Alto Iguaçu, do Setran, Prefeitura de Curitiba , Icac e Fundacao Cutural de Curitiba

PARA ALUGAR BICICLETAS PARA ESTE EVENTO AO CUSTO DE $30 LIGUE 4131530022

 https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Ffundacaoculturaldecuritiba%2Fvideos%2F10156150514914096%2F&width=500&show_text=false&height=280&appId

NOVA ETAPA para 2019

Dia 8 de dezembro de 2018 é a data que abrimos o atendimento na loja & café da Bicicletaria Cultural!

Aprimorando o apoio ao ciclista desde 2011, mantemos a localização num dos maiores vetores urbanos. A loja oferece produtos locais, artìsticos, peças e acessorios para ciclistas. Essa diversidade reflete suas bases originárias, na fusão do movimento cicloativista com agentes culturais e artistas.

Funcionamento é de seg á sab das 10h as 18h com bicicletas acessórios, livros, CDs, produtos locais, lanches de qualidade e um aconchegante ambiente para o café.

Nossos produtos sao resultado da pesquisa de melhor custo/beneficio. Tem objetivo de lhe atender com qualidade e informações. Prezamos pela atonomia, segurança e bem estar ao pedalar.

Visite-nos e venha tomar um cafezinho conosco!

Em breves fotos, eis o processo:

Retirada da placa anterior e abertura para nova fachada

1°abertura da loja no 7° aniversário da Bicicletaria Cultural dia 19 de agosto de 2018

Preparativos para instalacao do lustre no hall. Criação do don Joey

Estudo da disposição de produtos

Múltiplos olhares sobre o feminino com COLETIVO VULVAS

Abertura: 11/outubro das 18h – 21h
Em outubro entramos na campanha mundial pela prevenção ao câncer de mama e pela saúde da mulher, conhecida como Outubro Rosa. Cada vez mais, percebemos que tabus e moralismos abafam a condição das mulheres de terem acesso a informação e saúde.
Embora o corpo feminino seja altamente exposto, explorado e erotizado, a ponto de um ser humano ser subjugado a objeto, há pouco diálogo com o auto – percepção ( auto-conhecimento) se tornando um lugar estrangeiro ao próprio universo feminino.
Isso porque a presença desse corpo ainda é obscura e punida quando revelada. A vulva é o órgão do prazer, do nascimento e da escatologia. Uma ponte entre princípio – fim – princípio, do gozo pela vida e de existir. Por essa capacidade de se ver e se reconhecer é que o projeto Vulvas propõe mostrar, a partir de 11 de outubro (até 11 de novembro), pinturas, bate papos, workshops, esculturas de vulvas, registros fotográficos do sangue menstrual, e a relação com o período menstrual em várias etapas na vida de uma mulher com leituras do livro Mulheres que plantam a lua

***

Show de abertura: Quinta-feira, dia 11/out, a partir das 18:00 na Abertura do Coletivo Vulvas teremos a honra de receber o Folkears de Jade Farah Guil e Rafael Dauer Mello. Couvert de contribuicao espontanea

***

Confira mais atrações:
EXPOSIÇÃO de 24 moldes de vulvas reais e anônimas do Projeto V, iniciado em 2013 de
esculturas em gesso e resina

A artista traz o Projeto V – uma homenagem da mulher para ela mesma,onde a artista realiza peças tridimensionais da vulva de mulheres voluntárias abrindo a possibilidade de transmutar o diálogo entre a sua fisicalidade e suas reverberações.

Isabele Linhares é artista plástica que tem sua trajetória na linguagem do desenho, da gravura,
pintura e escultura desde 2001. Formada pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná e pós-graduada em ilustração e cinema pelas Faculdades OPET.

11/10/2018 as 19h33 (e outros dias e horários a combinar)

LEITURAS do livro de Andrea Berriel, “Mulheres que plantam a Lua”, da Arte Editora

Por meio de Lola, personagem fictícia, que se vê em uma crise profissional e pessoal e se aventura em novas experiências em busca de autoconhecimento. O livro aborda diferentes aspectos do universo feminino. Além da recorrente crise dos 40, a publicação entre outras vivências, retrata o ritual xamânico de plantar a lua, prática que ganha cada vez mais adeptas no Brasil e no mundo. O processo consiste em devolver o sangue menstrual à terra e concluir o ciclo da natureza

Andréa também apresenta a pintura “descubro quem sou à margem da floresta escura – óleo s/ tela 70 X 100 cm

Andre Berriel é artista plástica, escritora, arquiteta e urbanista e professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFPR. Mãe, mulher, cidadã, faz meditação e compostagem com seu lixo orgânico diariamente.

O livro está à venda no local por R$35,00

EXPOSIÇÕES FOTOGRÁFICAS e FOTOGRAFIA-OBJETOS de Mariana Bonadio, Luiza Kons, Niceli Silva e Tissa Valverde.

Projeto Sombra/s de Lua se Mariana Bonadio apresenta uma brincadeira estético-fotográfica, atravessada pelas relações entre a vivência exterior e interior dos ciclos menstruais. A partir de uma investigação pessoal a cada menstruação, as fotografias exploram as possibilidades estéticas de mapear o invisível de cada ciclo, numa reconexão e deslocamento de olhares sobre o sangue menstrual.

Mariana Bonadio é formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) , pesquisadora feminista e facilitadora de processos de criação. Opera as experiências da arte como instrumentos conceituais e metodológicos para o pensamento crítico, e como possibilidades de refletir sobre a relacionalidade entre o visível e invisível da (inter)subjetividade e da materialidade.

Neste novo projeto, Luiza Kons retrata o processo artístico de Isabele Linhares, com a narrativa, que visual busca capturar o sensorial das mulheres, aquilo que não pode ser transmitido no plano da palavra. Kons propõe retratar de modo espontâneo ‘’mini ensaios’’ durante a exposição, na Bicicletaria Cultural, onde fotografa e fotografada se conectam com suas essências e com as sensações de um contato instantâneo.

Datas disponíveis para os ensaios na Bicicletaria: 13,19, 26 e 29 de outubro; sessões: R$ 70,00 (5 fotos) e R$ 100,00 (15 fotos). As imagens serão entregues em versão digital. Agendamento: 41 31530022 ou (41) 99402846

Luiza Kons é formada em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e durante a graduação descobriu o poder de transformação da fotografia documental.

Tissa Valverde propõe expor objeto em construção durante o período da exposição e em diálogo com o encantamento do sangue menstrual num album fotográfico intimista. Valverde trata do processo de busca da medicina que reverencia a capacidade regenerativa do corpo, ora no álbum ora em escultura realizada em conjunto com Fernando Rosenbaum, com material plastico inutilizado antes do primeiro contato com absorvente íntimo feminino.

Tissa Valverde é gestora e articuladora da Bicicletaria Cultural e mediadora da exposição Coletivo Vulvas. Tem especialização em ensino e historia da arte (FAP), artista da performance e co-curadora da Mostra P-Arte.

O projeto NOSSAS RAÍZES de Niceli Silva é uma construção amálgama das raízes fundantes do Brasil. Nessa exposição oferecemos um corte da soma de todo projeto que é tanto uma observação quanto uma crítica em como o Brasileiro se vê mais do que como se sente. Mantendo aparte os valores dominantes, o projeto tenta trazer a tona a realidade de nossas bases e fundações a uma introspecção de quem somos como nação antes de nosso estado, ocidentalidade e ideologias, e também como isso foi sistematicamente combatido por um discurso pós-colonial, etnocêntrico, branco e essencialmente capitalista. Produção e modelo: Niceli Silva. Créditos fotográficos: Kayane e Marcelo Hammoud

Niceli trabalha na área de vendas em um laboratório fotográfico profissional há mais de 10 anos, é formada em fotografia pela universidade Tuiti. Possui uma sensibilidade única no tocante a temas sócio-culturais. Pelo seu histórico, compreende o pensar fotográfico como poucos – uma vez que já atuou como modelo, assistente, produtora, fotógrafa de eventos, e afins; e tudo isso com uma enorme carga de experiência.

20/10 das 14:00 às 18:00

Oficina Vagina Criativa com Fabiola Kaminski Treuk

Quando a sexualidade é tema de debate, tratamos mais do que o ato e o órgão, pois acessar a sua sexualidade é falar sobre auto estima, confiança, criatividade e espiritualidade. Essa oficina promove através da dança e do movimento, a reconexão com instinto criativo feminino.

INGRESSO: R$55,00

antecipadamente R$45,00
Vagas: 10 a 15 vagas

Fabíola Kaminski Treuk é buscadora do caminho do coração, Artista Plástica, Psicóloga Analítica e Gineterapeuta com especialização em Psicologia Analítica pela PUC-PR, e especialista em Gineterapia pelo ITECNE. Com trabalhos e estudos desenvolvidos em sexualidade, psique, processos criativos e criatividade feminina. Leciona na pós do Sagrado Feminino na Faculdade Espírita Idealizadora do projeto e workshop Vagina Criativa

Dia 10/11 das 14h as 17h

VIVÊNCIA entre Aromas e Sorrisos com Alice Bianchi

Para este coletivo Alice traz a risada e os óleos essenciais como forma de conexão com a cura do feminino que habita dentro de cada um de nós – aberta para todas e todos que buscam seu equilíbrio no mundo apesar de tudo. Será uma vivência sensorial e muito divertida que trará conceitos simples e contagiantes para que a vida siga mais leve

INGRESSO: R $44,00*

antecipado R $35,00

Com formação em gastronomia e em aromaterapia – iniciada há cerca de 10 anos no mundo dos aromas, hoje faz perfumes terapêuticos personalizados, é Theta Healer e praticante de Barras de Access, dentre outras ferramentas de cura…é amadora das artes cênicas e promove a alimentação consciente como meio de vida saudável sendo coach e líder de yoga do riso.

Dia 26/10 das 16h às 18h

Círculo ativo & Conversas e práticas de energia feminina “Corpo de Mulher & Sabedoria de Mulher” com Silvia Patzsch.

Possibilidades de práticas femininas através do autoconhecimento. Para vivermos em harmonia precisamos nos sintonizar conosco, com nosso corpo, nossas emoções, nossos pensamentos, ampliar nossa capacidade de sentirmos essa união entre tudo e todos, sentir o nosso eu integrado.

INGRESSO R$25,00*

Antecipado R$18,00

Formada em Artes Cênicas, Saúde Médica Básica, Pós Graduação em Sagrado Feminino, entre outras, facilita aulas individuais e em grupo, Palestrante, em contínua formação, acredita na potencialidade humana e seu desenvolvimento integral conectada no amor da Grande Mãe.

Rua Presidente Faria, 226 Centro
80020-290 Curitiba Paraná Brasil
Tel.: (41) 31530022

Curso familiarizaçao de mecânica de bicicletas

Pedale com segurança e autonomia. Bicicletaria Cultural quer que você tenha conhecimento sobre a extensão do seu corpo junto à machina bicicleta, e esta potencialize sua locomoção para chegar onde quiser.

Há 7 anos desenvolvemos uma oficina com 3horas/180minutos. As edições são quinzenais.

Interessados em se familiarizar com os processos mecânicos da bicicleta podem se inscrever antescipadamente com valor de $40, na hora $45. O encontro é direcionado ao publico em geral c/ idade a partir de 14 anos, abre caminho para o uso de ferramentas para manter seu veículo em bom estado para garantir sua segurança.

A oficina é teórico-prática com somente 06 (seis) vagas.

Conteúdo:

quadros c/prática de tamanhos

pneus c/prática de medição

câmaras e valvulas c/prática de remendos

aros e raios c/ prática de centragem

cubos c/pratica de revisao de cubos

freios c/pratica de regulagem

corrente e cambios c/prática de regulagem

DATA: 06 de outubro

HORA: 15h as 18h

INGRESSO: R$45,00. Antecipado R$40,00

Vagas: 06

LOCAL: Bicicletaria Cultural

Endereço: Rua Presidente Faria, 226 – Centro – Curitiba/Pr

Celebrando boas idéias para o cultivo de um corpo social