Todos os artigos de rose rose

TRANSPOSIÇÃO BICICLETARIA CULTURAL JARDINAGEM LIBERTARIA COLETIVO INTERLUX

9 anos bicicletaria cultural

“Desde o início da pandemia de coronavírus um serviço que até então passava quase despercebido aos olhos da maior parte da população tornou-se uma das atividades essenciais para garantir que produtos, mantimentos e alimentação chegassem até a casa daqueles que se mantêm em quarentena para se prevenir do vírus. Nos últimos meses os cicloentregadores tornaram-se uma classe extremamente necessária. Entretanto, tamanha relevância, na maioria das vezes, não se reflete no dia a dia desses trabalhadores que convivem com uma rotina extenuante de trabalho pedalando até 100 quilômetros por dia, muitas vezes além das 12 horas diárias, para tentar conseguir pouco mais de um salário mínimo ao mês. Além dos riscos que a própria pandemia impõe a esses grupos, os perigos de se rodar dentre os automóveis é outro desafio enfrentado regularmente.

Percebendo essa alta demanda e as necessidades de seus frequentadores, a Bicicletaria Cultural resolveu ampliar os serviços que já oferecia desde 2011 aos ciclistas e passou também utilizar sua estrutura para prover refeições diárias à categoria que, muitas vezes, se encontra numa situação paradoxal: quem vive de entregar comida não raro se vê passando o dia sem o próprio almoço.

“Uma das sócias do espaço, Patrícia Valverde, explica que o local já contava com um ambiente de convivência onde os trabalhadores têm à disposição um refeitório com micro-ondas para que possam esquentas suas marmitas, banheiro, vestiários, compartilhamento de ferramentas, locais de carregamento dos celulares, wi-fi, estacionamento para as bikes e armários para acomodar as sacolas de entrega. “Passamos a oferecer um serviço que de fato atende uma carência que vem dessa comunidade. Costumamos dizer que somos uma iniciativa privada para uma demanda pública”, diz.

A ideia começou a ganhar corpo após a parceria com um aplicativo da capital, porém, com o tempo, a colaboração acabou e a própria bicicletaria passou a tocar o projeto. Já a ideia das refeições surgiu após outra ação colaborativa, dessa vez com a ONG Gastromotiva, que passou a disponibilizar as marmitas aos cicloentregadores. “Sempre fomos esses lugar de apoio e de abrigo”, afirma Valverde. Todos os dias são ofertadas em média 50 refeições, que são anunciadas no grupo de aplicativo da Bicicletaria Cultural

Aumento expressivo no número de entregadores
Segundo a empreendedora, desde 2018 foi percebido um aumento expressivo no número de cicloentregadores e pessoas que trabalham com logística por meio da bicicleta, não só os que prestam serviços por aplicativos, como também entregadores de água, gás e outros produtos na região central da cidade. Se antes o perfil desses profissionais era prioritariamente formado por jovens, muitas vezes ainda em busca do primeiro emprego, com a pandemia a situação se inverteu. Com o crescimento do desemprego, tirando muitos profissionais do mercado de trabalho – alçados à informalidade -, atualmente grande parte desses ciclistas é composta por pais de família que viram na atividade uma forma de garantir o mínimo de renda necessária à própria subsistência. “O que a gente percebeu foi um aumento muito grande no número de entregadores e o perfil de pessoas que nos procuram está muito plural nos últimos meses”.

Com isso foram necessárias algumas adaptações para tornar o espaço mais adequado para esse grupo. Foram abertos novos recintos, além da ampliação de algumas estruturas já existentes. Tudo conforme as necessidades foram surgindo. “Fomos desenvolvendo essa afinidade, essa escuta da bicicletaria para as necessidades desses trabalhadores que começaram a ser cada vez mais frequentes aqui. Após a pandemia, passamos a nos preocupar em acessar esses grupos e fazer com que eles compreendessem que aqui é um espaço de apoio”, comenta a empreendedora.”

“Projeto Entrega Amiga
O projeto Entrega Amiga é uma ação de apoio coletivo para viabilizar a manutenção desse espaço de convivência e que também convida a sociedade a participar e a subsidiar alguma parte dessa estrutura. “Chamamos a sociedade para a responsividade social. Para que possamos todos prestar um tipo de apoio para essa categoria que se tornou um elo entre nós. Precisamos que eles tenham uma qualidade para a manutenção do próprio trabalho” diz Valverde.

Percebendo essa alta demanda e as necessidades de seus frequentadores, a Bicicletaria Cultural resolveu ampliar os serviços que já oferecia desde 2011 aos ciclistas e passou também utilizar sua estrutura para prover refeições diárias à categoria que, muitas vezes, se encontra numa situação paradoxal: quem vive de entregar comida não raro se vê passando o dia sem o próprio almoço.

Uma das sócias do espaço, Patrícia Valverde, explica que o local já contava com um ambiente de convivência onde os trabalhadores têm à disposição um refeitório com micro-ondas para que possam esquentas suas marmitas, banheiro, vestiários, compartilhamento de ferramentas, locais de carregamento dos celulares, wi-fi, estacionamento para as bikes e armários para acomodar as sacolas de entrega. “Passamos a oferecer um serviço que de fato atende uma carência que vem dessa comunidade. Costumamos dizer que somos uma iniciativa privada para uma demanda pública”, diz.

A ideia começou a ganhar corpo após a parceria com um aplicativo da capital, porém, com o tempo, a colaboração acabou e a própria bicicletaria passou a tocar o projeto. Já a ideia das refeições surgiu após outra ação colaborativa, dessa vez com a ONG Gastromotiva, que passou a disponibilizar as marmitas aos cicloentregadores. “Sempre fomos esses lugar de apoio e de abrigo”, afirma Valverde. Todos os dias são ofertadas em média 50 refeições, que são anunciadas no grupo de aplicativo da Bicicletaria Cultural

Políticas públicas
Na Câmara Municipal de Curitiba correm dois projetos de lei com sugestões para a regulamentação da atividade de cicloentregadores e normas para a prestação desse tipo de serviço. Dentre as propostas estão a obrigatoriedade de que as empresas forneçam o equipamento de proteção aos trabalhadores, como capacetes, coletes e dispositivos de sinalização e alerta nas bicicletas, além de espaços físicos com água potável, energia elétrica, banheiros e wi-fi. Medidas semelhantes já foram aprovadas em outras capitais do país, como São Paulo.

Segundo Patrícia Valverde, a falta de regulamentação, as condições precárias de relação de trabalho oferecida pelos aplicativos e mesmo a desorganização faz com que, muitas vezes, esse grupo acabe não se identificando como uma categoria legítima e deixe de questionar ou até mesmo identificar as próprias necessidades.

“De fato precisamos de alguma regulamentação que faça com que esses aplicativos participem do apoio a esses trabalhadores. Eles não são autônomos, pois não são completamente livres. As regras do mercado definiram um novo tipo de autônomo e eles não cabem bem nessa categoria. Eu diria que o cicloentregador é uma classe de trabalho que ainda está em desenvolvimento. É isso que vemos por aqui”, conclui.

Condições pioraram após a pandemia
Uma pesquisa recente da Universidade Federal do Paraná (UFPR) apontou para as mesmas impressões. De acordo com o levantamento da Rede de Estudos e Monitoramento da Reforma Trabalhista (Remir), após a pandemia os cicloentregadores tiveram que se sujeitar a uma maior jornada de trabalho, menor remuneração e ausência de qualquer iniciativa das empresas para fornecimento dos equipamentos de proteção básica para se proteger da Covid-19.

“Os resultados foram analisados com base em 298 questionários online respondidos por entregadores de aplicativos das principais empresas de plataformas digitais no Brasil, como iFood, UberEats, Rappi e Loggi, em 29 cidades brasileiras, com concentração em São Paulo, Belo Horizonte, Recife e Curitiba. Os entregadores entrevistados, na maioria, são homens (94,6%) que se reconhecem como brancos ou pardos (83,9%), com idade entre 25 e 44 anos (78,2%).

Mais de 57% deles afirmaram trabalhar acima de nove horas diárias, percentual que ampliou para 62% durante a pandemia. A jornada de 78,1% dos entregadores é de seis a sete dias por semana. Para os trabalhadores, o aumento da jornada está relacionado a novas contratações durante a pandemia, provocando a redução das chamadas para entregas. Dessa forma, eles passaram a trabalhar mais horas para manter a remuneração.”

por Jean Pecharki

fotografia | Theo Marques

fotografia |Douglas

Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/curitiba/bicicletaria-espaco-apoio-descanso-ciclistas-entregadores/


Copyright © 2020, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.

1° CURSO DE CONSTRUÇÃO DE BICICLETA DE BAMBU em CURITIBA

JÁ PENSOU EM CRIAR A SUA BICICLETA …DE BAMBU!!

Participe do 1° CURSO para CONSTRUIR SUA BICICLETA DE BAMBU aqui na Bicicletaria Cultural nos dias 28 e 29 de fevereiro e 01 de março de 2020 com grupo experiente da Cidade do Mexico/ MX. Veja mais: https://bamboocycles.com/

bamboocycle1

Dentre os benefícios da bike de bambu estão sua originalidade, leveza e belíssimas cores e brilho. Nesse processo, você impacta na valorização da escala humana, revela trabalho de artesania e aquece circulação de material natural e ecológico.

A bicicleta que você construir vai ser exclusiva e será uma estensão consciente do seu corpo pois você terá dominado todo processo e fará uso dela com autonomia e funcionalidade.

bamboocycle3

O bambu tem como características resistência, resiliência e flexibilidade, e essas qualidades tornam sua bicicleta macia por absorver impacto e forte. Sim, a bicicleta de bambu é forte. O material usado é tratado e certificado pelo grupo BambooCycle vindo do México.

Participe deste 1º curso de construção de bicicleta de bambu!

bamboocycle5

Vamos reunir seu entusiasmo e disposição com a expertise de Diego e Nacho e sairemos pedalando com nossas novas bicicletas no maior exercicio de autonomia e harmonia com o meio ambiente.

São poucas vagas e há muito o que fazer, mas não se preocupe! O material para construção do quadro será ofertado no entanto, você deve ter decidido qual garfo e qual roda completa traseira irá na bici de bambu. Sobre essas peças, nós da Bicicletaria Cultural podemos ajudar, e se te interessar, mando uma lista de nossos preços.

A inscrição está no valor de U$350 (segundo nossa atual cotação, sai menos de R$1500,00) para garantir uma vaga para você e mais 1 pessoa! Sim, você pode e é altamente indicado trazer um amigo ou amiga pra aprender e ajudar a construir sua bike pelo valor de 1 inscrição!

bamboocycle4

Agora sim! Quitada e feita a inscrição pelo pay pal (ou se for  por boleto, precisa entrar em contato conosco – 41 31530022)  precisamos que preencha dados como sua altura, peso e tal e, qual será seu estilo. Você pretende montar uma de estilo speed, urbana, cargueira (!!) mountain bike, bmx ou infantil (yeah!)?

Participe, será uma aventura construir sua própria bicicleta.

Será o começo de suas melhores aventuras!

SERVIÇO:

Local: Bicicletaria Cultural. Rua Presidente Faria, 226 Centro 80020-290 Tel 41 31530022 bicicletariacultural@gmail.com

Data: 28 (das 16h as 21h) 29 de fevereiro e 01 de março (das 10h as 19h) de 2020.

Inscrição: USD $350 (aprox. R$1500,00) com direito a acompanhante. Pagamento preferencialmente pelo paypal (aceita cartões)

Ainda há vagas!

Veja mais!

 

 

SHOW DE TECO MARTINS dias 10 e 11 de outubro

π Teco Martins cantor e compositor das bandas Luz Ametista, Sala Espacial e RANCORE vem a Curitiba trazer o show de lançamento do seu novo álbum solo LOGOS SOLAR; evento intimista pra até no máximo 40 pessoas, proximidade total com o artista que vem acompanhando pelo Sanfoneiro e Percussionista paranaense Daniel Farah, tocando músicas de todas as fases da carreira, na Bicicletaria Cultural local muito agradável para ver o show, IMPERDÍVEL!

Ingressos Antecipados: R$25
Ingressos na Porta: R$35

***ATENÇÃO: DEVIDO A RÁPIDA VENDA DOS INGRESSOS PARA O SHOW DE QUINTA-FEIRA (Já estão quase esgotados, tem só mais 5), DECIDIMOS ABRIR UMA DATA EXTRA NA SEXTA-FEIRA!!! (não serão aceitas trocas de ingressos pros dias)

Garanta seu ingresso já pois são poucos !!!

INGRESSOS ANTECIPADOS P/ QUINTA-FEIRA https://www.sympla.com.br/-teco-martins-em-curitiba-pr__662016

INGRESSOS ANTECIPADOS P/ SEXTA-FEIRA
https://www.sympla.com.br/-teco-martins-em-curitiba-pr—data-extra__668852

Crianças até 12 anos e pessoas com mais de 45 anos entram grátis*

1° XIZOLA – BIKE POLO

xilizola

Neste sábado dia 24 de agosto em comemoração aos 8 anos da BICICLETARIA CULTURAL, teremos o 1° XIZOLA.

Será uma competição em espaço reduzido de 2m x 2m com partidas de 1 contra 1.

Vai ser assim:

As rodadas acontecerão com 3 inscritos em 3 jogos de aprox 6minutos cada. Os resultados somam pontos no placar geral.

As inscrições para participar da rodada é da bagatela de R $5,00/ jogador

Para acompanhar esta tarde, das 14h as 22h mergulharemos na cultura do BIKE POLO com prints em camisetas (TRAGA SUA MELHOR CAMISETA) c/ músicas, chopp e lanches da cozinha vegetariana da Bicicletaria Cultural e vegana da OCA VEG.

SÁBADO 24/08 das 14h – 22h Local: r. Pres. Faria, 226 centro 41 31530022 (Curitiba)

dsc_8479

ENTRADA GRATUITA.

Participe da celebração dos 8 anos de subsistência do cicloativismo local.

ATENÇÃO:

No mesmo dia e endereço, as 16h, a Cicloiguaçu – Associação dos Ciclistas do Alto Iguaçu fará o lançamento do relatório produzido sobre a Av Afonso Camargo, local onde foi vitimado, Lucas Shurda. Este doc. balizará requerimentos para a adequação do local.

A CICLOIGUAÇU desenvolve de maneira voluntária, projetos, pesquisas e mediação com setor público desde 2011.

Visite, conheça, apoie e se associe!

MAIS SOBRE BIKE POLO:

βike pólo é um esporte criado no município de County Wicklow, na Irlanda, em 1891, pelo ciclista aposentado Richard J. Mecredy. Ele é semelhante ao polo convencional, com a diferença de que, ao invés de cavalos, são usadas bicicletas. No início do século XX o esporte cresceu tanto que chegou a ser exibido como demonstração nas Olimpíadas de 1908 em Londres.

O jogo é uma variação “livre” do polo equestre. No lugar dos cavalos e dos campos com grama, os jogadores “montam” bicicletas e disputam as partidas em quadras duras de cimento. Ainda não surgiram lojas especializadas na modalidade. Há um faça você mesmo na hora de criar os equipamentos. Os tacos são criados com o material que há disponível, geralmente um cano de alumínio ou um cabo de esqui parafusado a um cilindro de material resistente, mas já opções, como um taco profissional hj tá custando de 250 a 350 pila. Mas claro, sempre da pra fazer com materiais mais baratos. Os cavalos, são bicicletas single speed mais leves, sem marchas, mais baratas, simples e mais “ariscas”, no início, muitos certamente encontrarão certa dificuldade em manejá-la. Elas se caracterizam por usarem uma calota na roda dianteira para evitar que o taco entre.

Novas equipes despontam ao redor do mundo. Há representantes de bike pólo em países como os Estados Unidos, França, Índia, Alemanha, Paquistão, Malásia, Sri Lanka, Indonésia, Hungria, Austrália, Inglaterra, Argentina, Itália, Canadá, Suécia e Brasil.

O nosso time local é reconhecido como o mais tradicional do Brasil, Os Peixes Delirantes fazem parte da liga de bike polo de Curitiba, O time que, entre outros, conta com @doxlucchin, @chico_paes e @amareloucura @doug recentemente organizaram o 7° Campeonato Brasileiro de Bike Polo como um grandioso encontro da comunidade (julho/19). Houve colaboração da prefeitura de Campo Magro e a abertura para o desenvolvimento deste esporte na cidade. Em Curitiba há encontros semanais no Largo Isaac Lazzarotto, início da Av Sete de Setembro.

Bike Polo é um esporte ligado à cultura underground das bicicleta fixas que vem crescendo e se profissionalizando, a galera está na busca de organizar uma federação desta categoria.

48440487_matchold

Acessível não somente para uma elite, mas para quem desejar praticá-lo, já se tornou um boom nas metrópoles mundiais, e é crescente o interesse em terras tupiniquins.

Os times são formados por 3 ou 6 integrantes dependendo do formato, mas são sempre 3 em quadra, num jogo 3×3. as partidas tem de 12 minutos de duração e o tempo pára sempre que o jogo é interrompido por algum motivo. no outro formato, com jogadores reservas (mas ainda 3×3) as partidas levam 30 ou 45 minutos com pausas durante o jogo.

WOMAN POLO

Os times são mistos, a predominância é masculina, mas as mulheres são cada vez mais ativas e hoje existe a liga feminina de bike polo, onde apenas mulheres jogam. O esporte esta cada vez mais organizado, e já conta com confederações continentais, e são disputados campeonatos mundias. neste ano, o Campeonato Mundial de Bike Polo será disputado em Córdoba na Argentina, e contará com a presença de times Brasileiros.

bikepolo cordoba

Participe!

ENCONTRO DE CICLOVIAJANTES com Ernesto Stock

Nos encontros de Cicloviajantes trazemos heróis de suas proprias jornadas para trocarem suas vivencias. Nese próximo encontro, teremos o lançamento de livro e projeção de fotografias. São parte da programação do mês de aniversário de 8 anos da Bicicletaria Cutural. Ernesto Stock  em “A Fantástica Epopeia que não era”, é uma ficção inspirada em uma travessia de bicicleta entre o Atlântico e o Pacífico realizada em 2013. Esta edição terá a participação do professor e psiquiatra Renato Franco, que abordara temas referentes à relação entre o relato de viagem  e sua construção da narrativa apoiada na  memória.  
Esta é uma obra de ficção, livremente inspirada em uma expedição de bicicleta
que realizei em 2013 na companhia de dois amigos. Foram quase três meses
percorrendo o sul do Brasil, o Paraguai, a Argentina e o Chile. Três mil quilômetros entre
o Oceano Atlântico e o Pacífico.
Concebido inicialmente como um relato tradicional, este livro cedeu
progressivamente à pressão dos personagens sedutores, dos encontros inusitados e da
tentação de forjar relações improváveis. O que a princípio se configurava como uma
vantagem narrativa, a verdade dos fatos e minha privilegiada visão de autor onipresente
sabedor dos fins e dos meios, terminou do avesso.
Conforme a história se desenvolvia e eu tinha que recorrer à memória para
descrever uma cena ou um acontecimento, talvez reais, percebia, cada vez mais, a
nulidade desse esforço. A verdade dos contornos e das formas escondia um mundo que
meu próprio olhar buscava, e minhas referências seletivas construíam, baseadas em
certezas falsas e imprecisas. A constatação do inevitável acabou por enterrar qualquer
tentativa de apego aos fatos. Esse processo é percebido e explícito no decorrer da
narrativa. Um livro de estrada, um romance de aventura, uma epopeia contemporânea
de tudo o que não existiu ou poderia. E também com todos os problemas do meio do
caminho.
Temos aí um ponto fundamental na construção deste livro: a questão da
memória e a sua fabulosa capacidade de inventar lugares e elevá-los à categoria de
verdades incontestes. Não tenho nenhum compromisso com outra verdade que não
seja a que as minhas referências e todo um emaranhado de lembranças
convenientemente inventadas pela minha imaginação possam apresentar.
O que garanto que sobra é o cuidado com que eu cultivo as histórias que vou
ouvindo e vivendo pelo meu caminho, e o lugar especial que reservo para elas na
construção do meu mundo inventado. Quando voltei da minha viagem de bicicleta, fazia
pouco mais de um ano que meu avô tinha morrido e senti muito em não poder dividir
toda essa experiência com ele. Um ano depois da minha avó, que durante anos foi
perdendo pouco a pouco todas as memórias de que tanto se orgulhava. Mesmo quando
não lembrava mais seu nome e nem se reconhecia no espelho, sentava em frente à
janela e cantava junto com meu avô uma infinidade de canções que descobriram juntos
em mais de sessenta anos de músicas. Todas as sensações que transbordam das
lembranças e dão sentido. Toda a força da memória. Esse livro é, sobretudo, um
presente para o meu avô.
Divirtam-se.

 

15/08 na Bicicletaria Cultural – 20h / rua pres. faria 226 – 4131530022 – GRATUITO

Encontro para familiarização de mecânica de bicicletas

Pedale com segurança e autonomia. Bicicletaria Cultural quer que você tenha conhecimento sobre a extensão do seu corpo junto à machina bicicleta, e esta potencialize sua locomoção para chegar onde quiser.

Há 8 anos desenvolvemos uma oficina com 180minutos. As edições são quinzenais.

Interessados em se familiarizar com os processos mecânicos da bicicleta podem se inscrever antescipadamente com valor de $45, na hora $50 O encontro é direcionado ao publico em geral c/ idade a partir de 14 anos, abre caminho para o uso de ferramentas para manter seu veículo em bom estado para garantir sua segurança.

A oficina é teórico-prática com somente 06 (seis) vagas.

Conteúdo:

quadros c/prática de tamanhos

pneus c/prática de medição

câmaras e valvulas c/prática de remendos

aros e raios c/ prática de centragem

cubos c/pratica de revisao de cubos

freios c/pratica de regulagem

corrente e cambios c/prática de regulagem

DATA: 06 de julho 2019

HORA: 15h as 18h Antecipado R$45

Mais um ciclo da bicicleta comunitária em Curitiba

Emocionante é o poder do desejo, da vontade e da união.

De setembro a novembro de 2016, estivemos chamando as pessoas mais queridas e próximas do coração e da Bicicletaria Cultural para juntos Ampliar a Colméia, já que ciclistas são polinizadores da urbe!

Em 2017 ficamos inquietos na atualização de um projeto mais adequado ao que foi arrecadado. Que fosse econômico e administrável. E nesse calor de tarefas abrimos o blogue bicicletariaculturalprojetos.wordpress.com pra lançar boas referências, protótipos e conforme ía se adequando á prática real, este link foi esquecido.

Em 2018, no seu ciclo de 7 anos de atividades – ciclo sempre emblemático, anunciamos as reformas com uma equipe generosa e dedicada. Vale a pena ver os breves registros do making off no fb, aqui e insta.

Hoje, ao revisitar os sites que administramos (ainda que tardiamente) reencontramos aquele link dos projetos e devaneios e, é impressionante como nossos desejos conspiraram e dialogaram, num processo de contaminação, com as novidades que estamos lançando nesta quarta, dia 28/março – junto a intensa programação cultural, integrante do Festival de Teatro de Curitiba 2018.

A seguir, as dicas e pretextos para que você nos visite e se emocione conosco nessa vida maravilhosa.

Juntos somos mais!

Mais bicicletas!

Mais segurança!

“Prefeito, preste atenção! Vc’stá andando na contra-mão!”

💃 Musica flamenca com o coração e improvisações de Pablo Vares, do Uruguai no show “Encruzilhada”.
Dias 28 e 31 março e, 4 de abril.

🎭 o retorno do monólogo “A Anta de Copacabana” – que ja foi destaque nacional na temporada que esteve conosco e se ainda não viu #naoperca
dias 28 a 30/março e 01, 03, 06 e 07/abril

🎭 🎥 O mesmo ator, Adriano Peterman, fará tambem a estreia de “Bernard Só” com texto de Luiz Felipe Leprevost com transmissão em tempo real pela internet nesta fanpage e na CiaTeatroPortatil, transformando a obra em um híbrido entre o teatro e o audiovisual.
Dias 28, 30, 31/ março, 01/abril e continua direto de 3 a 8/abril.

🎭 sabe a origem desse símbolo aqui?Pensa num trabalho totalmente imerso na poetica teatral!! Eis a peça “Rapsodos”, um recorte do texto “Ilíada” de Homero e um resgate à Grécia Antiga, quando rapsodos duelavam na abertura das Olimpíadas pela interpretacao mais virtuosa. Com o querido e dedicado A.Peterman, Maureen Miranda e Stella Maris Moreira
dias 28, 29 e 31/março; de 2 a 6/abril e finaleira dia 8/abril.

🐞🐝《 esses é q são “Os Monstros”

na exposição em aquarela s/papel e acrilica s/ materiais reciclados de Maureen Miranda. Encantada desde criança (e quem não?) eis uma lupa sobre os insetos. Belíssimos trabalhos que inauguram novo ambiente e deliciosas novidades.
De 28/março até 8/abril ………………….🐜

💭📚 Pode contar que sempre sempre estaremos com crianças por perto. E desta vez o convite é para o lançamento de 15 belos livros da “Coleção Genoma” da Editora DVS, reunindo narrativas sensíveis e ilustrações da talentosa Maureen Miranda que adorariam serem coloridas pelos talentos mirins. Talvez vc conheça alguns autores, veja quais: Bruno Garcia, Carla Böhler, Fabíula Nascimento, Hilton Castro, James McSill, Leandro Daniel Colombo, Leonardo Medeiros, Letícia Spiller, Pablito Kucarz, Ricardo Severo, Rô Milani, Rodrigo Ferrarini, Rubens Caribé, Simone Spoladore e a ilustradora.
Lançamento dia 4/abril.

E quer assistir COLETIVO EL CAMINO reunido? Então venha com o coracão✊na forma de um punho fechado…

🎤🎶 Performance musical e poética com a força que o nome traz “Punho Fechado”. No elenco está Letícia Spiller, Adriano Petermann e Maureen Miranda, com música de Neco Yaros e Pablo Vares e Flavio Jardim.
De 29/março a 2/ abril e de 6 a 8/ abril.

Temos espaços intimistas,
garanta seus ingressos!

Aulas gratuitas de violão em Curitiba

A partir do dia 6 de maio 2019, Letícia Farinhuk e Danilo Ribeiro, ministrarão aulas gratuitas de violão, Os encontros acontecerão na BICICLETARIA CULTURAL, Rua Presidente Faria 226 em frente a Praça de Bolso do Ciclista.

É necessário realizar prévia inscrição através do telefone com whats (41) 31153-0022, voltado para todas as idades, os encontros serão segundas-feira, das 9 horas ao meio-dia. não é necessário conhecimento prévio, porém o aluno deve possuir violão.

Letícia Farinhuk e Danilo Ribeiro, são estudantes do quarto ano de bacharelado em música da faculdade de artes do Paraná.

BICICLETANDO NA OFICINA DE MUSICA 2019

whatsapp image 2019-01-16 at 13.51.57

A Oficina de Música de Curitiba recebe no dia 20 (domingo) o Bicicletando na Oficina, é a segunda edição deste evento que difunde esta incrível programação aos ciclistas. Este ano o trajeto leva a diferentes pontos da cidade com shows musicais em cada parada. O Bicicletando inicia na Capela da Glória as 9h da manhã deste domingo, e segue para o  Bosque do Papa. O dia tem ainda programação com orquestras e apresentação com sintetizadores analógicos.

Confira a programação completa do dia 20 de janeiro

Às 8h30h  é concentração na Capela da Glória

saída as 9H30

10h30 chegada no bosque do papa

10h50 saida do bosque do papa

11h15 chegada parque sao lourenço

11h45 saida parque sao loureço

12h15 chegada praça de bolso do ciclista
Bicicletando na Oficina
Misturando música e um passeio ciclístico, o Bicicletando sai da Capela da Glória depois de show d’A Banda Lyra Curitibana; no Bosque do Papa, acontece um pocket concerto do pianista Wim Van Moerbecke; no Parque São Lourenço, o Trio Harmônicas de Curitiba é quem embala a programação; o encerramento acontece na Praça de Bolso do Ciclista às 12h30, com a Bananeira Brass Band.
o evento é totalmente Gratuito tem o apoio da Associação dos Ciclistas do Alto Iguaçu, do Setran, Prefeitura de Curitiba , Icac e Fundacao Cutural de Curitiba

PARA ALUGAR BICICLETAS PARA ESTE EVENTO AO CUSTO DE $30 LIGUE 4131530022

 https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Ffundacaoculturaldecuritiba%2Fvideos%2F10156150514914096%2F&width=500&show_text=false&height=280&appId

Curso familiarizaçao de mecânica de bicicletas

Pedale com segurança e autonomia. Bicicletaria Cultural quer que você tenha conhecimento sobre a extensão do seu corpo junto à machina bicicleta, e esta potencialize sua locomoção para chegar onde quiser.

Há 7 anos desenvolvemos uma oficina com 3horas/180minutos. As edições são quinzenais.

Interessados em se familiarizar com os processos mecânicos da bicicleta podem se inscrever antescipadamente com valor de $40, na hora $45. O encontro é direcionado ao publico em geral c/ idade a partir de 14 anos, abre caminho para o uso de ferramentas para manter seu veículo em bom estado para garantir sua segurança.

A oficina é teórico-prática com somente 06 (seis) vagas.

Conteúdo:

quadros c/prática de tamanhos

pneus c/prática de medição

câmaras e valvulas c/prática de remendos

aros e raios c/ prática de centragem

cubos c/pratica de revisao de cubos

freios c/pratica de regulagem

corrente e cambios c/prática de regulagem

DATA: 06 de outubro

HORA: 15h as 18h

INGRESSO: R$45,00. Antecipado R$40,00

Vagas: 06

LOCAL: Bicicletaria Cultural

Endereço: Rua Presidente Faria, 226 – Centro – Curitiba/Pr

1° pedalada da graciosa

Primeira pedalada da Estrada da Graciosa Aconteceu no dia 19 de Novembro 2017 Organizado Pelo Clube Marumby De montanhismo para celebrar a reforma da Igreja Bom Jesus da Lampinha No alto da Antiga Estrada da Graciosa. Teve acompanhamento de uma ambulância e a polícia de Quatro Barras fez fez a escolta. Bicicletaria Cultural deu suporte logístico logístico escolta mecânico e é a Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu fomentou a ação.

Foi um convite público a comunidade que sentiu encorajada a percorrer os 30 quilômetros Que separam O início da estrada da praia na Praça 19 de dezembro ,Passando pelo Atuba E seguindo até a localidade Da Lapinha No alto da Estrada da Graciosa antiga. A elevação acumulada Foi de 500 merros Realizamos uma única parada Na Várzea do Rio Timbú Onde o secretário de Meio Ambiente de Quatro Barras Nos esperavam com rocambole De mudas Para serem plantadas Em um local que dará origem a um grande Parque Urbano. Após o plantio os 15 ciclistas seguiram Mais alguns quilômetros até chegar na imunidade e Alpina, onde acontecia uma Charmosa feira de alimentos da Graciosa onde produtores locais e artesões da Comunidade Comercializavam Deliciosos Quitutes , Belíssimas Artesanias E comungavam oficinas. Tivermos um imenso prazer de assistir à palestra ‘Estrada da Graciosa e os caminhos do mar’ com Mestre vitamina. A volta que estava marcada para as 17 horas se Estendeu ,porque o encontro estava muito gostoso. Voltamos para Curitiba Com um belíssimo entardecer, Chegamos mais dispostos E com histórias para dividir.

ENCONTRO DE FAMILIARIZAÇÃO COM A MECÂNICA DE BICICLETAS NESTE SÁBADO

Pedale com segurança e autonomia. Bicicletaria Cultural quer que você tenha conhecimento sobre a extensão do seu corpo junto à bicicleta para chegar onde quiser.

Há 6 anos desenvolvemos uma oficina de 3horas/180minutos, aos interessados em compreender sobre a mecânica de sua  bicicleta.

Ministrado por Fernando Rosenbaum, o encontro é direcionado ao publico em geral (menores podem vir acompanhados) e abre caminho para o tornar o uso deste veículo mais eficiente e seguro. Se familiarizare com o ferramental para manter seu veículo em bom estado.

A oficina é teórico-prática com somente 06 (seis) vagas.

Conteúdo:

Ladainha inicial

quadros  geometria, materiais e  tamanhos

pneus e câmaras, aferição, remendo e medição

aros e raios c/ prática de centragem

cubos tipos e sua revisao

Sistema de frenagem instalação e regulagem

Transmissão, manuseio de correntes, cambios instalação e regulagem.

Lavagem e lubrificação

DATA: 20 de maio

HORA: 15h as 18h

INGRESSO:  R$35

Antecipado R$30,00

Vagas: 06

LOCAL: Bicicletaria Cultural

Endereço: Rua Presidente Faria, 226 – Centro – Curitiba/PR – 4131530022

TRADICIONALMENTE ENCONTRO PARA FAMILIARIZAÇÃO DA MECÂNIC A DE BICICLETA

Pedale com segurança e autonomia. Bicicletaria Cultural quer que você tenha conhecimento sobre a extensão do seu corpo junto à bicicleta para chegar onde quiser.

Há 5 anos desenvolvemos uma oficina de 3horas/180minutos mensalmente aos interessados em ter noção básica em mecânica de bicicleta.

Ministrado por Fernando Rosenbaum, e direcionado ao publico em geral c/ idade a partir de 14 anos, abre caminho para o uso de ferramentas para manter seu veículo em bom estado.

A oficina é teórico-prática com somente 06 (seis) vagas.

Conteúdo:

quadros  c/prática de tamanhos

pneus  c/prática de medição

câmaras e valvulas c/prática de remendos

aros e raios c/ prática de centragem

cubos c/pratica de revisao de cubos

freios c/pratica de regulagem

corrente e cambios c/prática

 

DATA: 18 FEVEREIRO

HORA: 15h as 18h

INVESTIMENTO :  R$45,00.  Antecipado R$30,00

Vagas: 06

LOCAL: Bicicletaria Cultural

Endereço: Rua Presidente Faria, 226 – Centro – Curitiba/Pr